quarta-feira, 24 de julho de 2013

SOLENIDADE 9 DE JULHO 
CAMPINAS

Ocorreu na Praça Voluntários de 32, em frente ao Mausoléu do Cemitério da Saudade em Campinas a solenidade alusiva ao 9 de julho de 1932, quando tropas Paulistas se levantaram contra as tropas do governo federal.

Os heróis da Revolução Constitucionalista de 1932 foram lembrados em Campinas no dia 9 de julho, data que marca o inicio da Revolução naquele ano, quando civis e militares lutaram contra a ditadura do Governo Provisório de Getúlio Vargas.
A solenidade ocorreu em frente ao Mausoléu do Soldado Constitucionalista, no Cemitério da Saudade, onde estão enterrados 16 ex-combatentes campineiros, e contou com a presença de diversas autoridades.
Apenas um veterano de Campinas da Revolução Constitucionalista ainda é vivo. Natalino Antonio Augusto que esta com 103 anos, participou das homenagens no aniversário de 81 anos do conlito armado, vestido com farda de gala.
Assistiu à execução de hinos e marchas que foram executadas pela banda da Policia Militar, recebeu a Medalha Constitucionalista. Outro homenageado foi José dos Santos Marques, o José Lamparina, chefe dos Escoteiros de Campinas.
A Revolução de 1932 foi uma guerra civil em que o Estado de São Paulo se revoltou contra a ditadura do então presidente Getúlio Vargas. Por mais que tenha sido derrotada no campo de batalha, a Revolução Constitucionalista foi importante para a formação da identidade paulista e também para pressionar por nova Constituição.
Na leitura da Ordem do Dia, o Comandante de Policiamento do Interior, coronel Carlos de Carvalho Junior destacou que o movimento foi reverenciado por ter sido o mais importante evento cívico e militar do Estado de São Paulo."E nesse ano o momento é marcante porque a sociedade brasileira voltou a ver os jovens protestando nas ruas em busca de melhorias e muitos clamores populares já foram ouvidos. A Policia Militar apóia os movimentos pacíficos, mas continuará agindo com energia necessária contra ação de vândalos", garantiu.
O Comandante lembrou ainda que os heróis de 1932 tem sua memória preservada e devem servir de inspiração para os jovens de 2013 para a luta pacífica.
Dois momentos especiais de celebração deixaram o público emocionada. De trás do Mausoléu, apareceram soldados representando cada um dos combatentes campineiros, marchando e com um rifle nos ombros, vestindo uma farda de época. Eles permaneceram em posição de sentido na frente do movimento. A cada nem chamado dos soldados mortos, o representante respondia "presente".
Outro momento de emoção foi ao som da corneta com o Toque de Silêncio, no momento em que dois escoteiros depositaram uma coroa de flores no mausoléu.

ESCOTEIROS

Todos os anos, grupos de escoteiros de Campinas participam das celebrações do 9 de julho. Este ano, José dos Santos Marques, conhecido como José Lamparina, também foi homenageado e ganhou a Medalha Constitucionalista. O envolvimento dos escoteiros na revolução remete a um capítulo do levante armado. É que o escoteiro Aldo Chioratto, de 9 anos fazia entrega de correspondência e morreu no dia 18 de setembro de 1932, durante um dos dez bombardeios aéreos sofridos pela cidade. O alvo das tropas federais na época era a estação ferroviária, de onde partiam os batalhões que se entrincheiravam pelas divisas de São Paulo com Minas Gerais e Paraná. 

Fonte: Jornal Correio Popular "Vilma Gasques"
Foto: Carlos Sousa Ramos /ANN
http://correio.rac.com.br/_conteudo/2013/07/capa/campinas_e_rmc/78813-campinas-lembra-herois-da-revolucao-constitucionalista.html

video

Revolução Constitucionalista de 1932
Solenidade 9 de julho 2013 - Campinas
Mausoléu do Cemitério da Saudade



Escoteiro Aldo Chioratto (1922-1932)


Solenidade ocorrida no Mausoléu do Cemitério da Saudade


Toque de Silêncio


Arriamento do Pavilhão Nacional


Solenidade ocorrida no Mausoléu do Cemitério da Saudade


Solenidade ocorrida no Mausoléu do Cemitério da Saudade


Autoridades presentes na solenidade


Veterano Natalino Antonio Augusto 103 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário